Sobre a série Pertences

“Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória. Memória que é a de um espaço e de um tempo, memória no interior da qual vivemos, como uma ilha entre dois mares: um que dizemos passado, outro que dizemos futuro. Podemos navegar no mar do passado próximo graças à memória pessoal que conservou a lembrança das suas rotas, mas para navegar no mar do passado remoto teremos de usar as memórias que o tempo acumulou, as memórias de um espaço continuamente transformado, tão fugidio como o próprio tempo.”
José Saramago

Pertences alheios
Minha máxima culpa
Grandes Esperanças
Estudo
Temiminós I
Senhorinha, moça de fazenda antiga II
Páscoa 82
A gente tá fodido e dando risada
Xarxixa
1/3